O melhor de todos os discursos – sereno, profundo e fulcral

collor

O melhor de todos os discursos – sereno, profundo e fulcral – foi o do ex-presidente cassado Fernando Collor de Mello. Disparado. Longe dos demais. Calou o plenário, que parou para ouvi-lo. Falou que “crime de responsabilidade é a mera irresponsabilidade com o país. Seja por incompetência, negligência ou má-fé”. E abordou duas das causas principais da nossa tragédia: o inchaço e aparelhamento desenfreado do Estado.

O PT arruinou além das instituições e da economia, também a vergonha e a decência em nosso país. Hoje paramos, atentos, para ver o que Collor tem a dizer. Ele hoje dá pito no petismo. E mais. Hoje podemos afirmar que quando presidente ele teve a dignidade de aceitar o processo contra si sem ameaçar as instituições ou trabalhar para aniquilá-las, como faz o pt (assim, minúsculo, como deve ser). Collor foi um lorde inglês com o país, se comparado com a quadrilha atual.

O petismo é tão nefasto que paramos para ouvir Collor. Até ele, que deveria estar para sempre no lixo da história, se torna um estadista perto da organização criminosa chinelona e perigosa que saqueou o Brasil.

Mas está chegando ao fim.

por Diego Casagrande

Leivid M M

Formado em Análise e desenvolvimento de sistemas pela Unicesumar com foco em business intelligence, fundador do portal Mandaguaçu e CEO da Sigloc (empresa desenvolvimento de software) .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *