Mandaguaçu registra 13 novos casos de covid-19 em 24 horas e totaliza 15 mortes em decorrência da doença

Mandaguaçu registrou 13 novos casos de covid-19 em 24 horas, nesta quarta-feira (10). Com esses registros o município atinge a marca total de 1.809 pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia. A cidade também registra no total 15 óbitos por complicações da doença, 03 mortes foram computadas somente neste mês de março. Vale ressaltar que Mandaguaçu depende de leitos de UTI nas cidades da região, como Maringá e Colorado.

A situação dos hospitais na cidade de Maringá, cidade referência de Mandaguaçu no que tange leitos, é gravíssima. Todos os leitos de atendimento exclusivos SUS para covid-19 estão ocupados. Dados gerais que somam a rede pública a privada apontam que dos 633 postos de enfermaria, 64% estão sendo utilizados.

Situações estas que geram um reflexo negativo para as cidades que dependem de Maringá. Na manhã desta quarta-feira (10), o Hospital São Marcos emitiu uma nota para informar a paralisação nos novos atendimentos por falta de leitos nos setores de internação e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Com isso, já são três hospitais privados de Maringá que interromperam novos atendimentos. Na publicação, o hospital afirma que atingiu o limite máximo ocupacional e que, diante disso, não receberá novos pacientes. “Não temos condições estruturais, nem recursos humanos para efetuarmos novos atendimentos.” A situação foi registrada após o aumento no número de casos e internações decorrentes da Covid-19.

O primeiro a comunicar o “fechamento” do pronto atendimento foi o Hospital Paraná na tarde de segunda-feira (08). O hospital afirmou que o aumento de pacientes com sintomas graves de Covid-19 levou a ocupação total da unidade e decidiu suspender os atendimentos.

Na noite de terça-feira (09), o Hospital Maringá publicou um comunicado nas redes sociais informando a incapacidade para receber novos pacientes. No texto, o hospital também afirma estar sem condições e recursos humanos para novos tratamentos, já que todos os leitos da unidade estão ocupados.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *